Devido a pandemia causada pelo novo coronavírus, diversos segmentos de negócios foram afetados diretamente das mais variadas formas, e com a publicidade não foi diferente. Uma vez que as autoridades de saúde recomendaram o isolamento social, uma parte significativa da população passou a não sair de casa como prevenção. E isso, levou ao aumento da publicidade na TV.

A quarentena fez com o consumo de programas de TV fossem ampliados, os quais, por sua vez, tiveram que se adaptar e implantar algumas modificações.

Estimativas apontam que o novo comportamento da sociedade fez com que a variação dos programas jornalísticos aumentasse em 17%. Os programas infantis, aparecem em segundo lugar, com um aumento de 14%.

Novo normal da TV

As principais redes de televisão tiveram que se adaptar. Por exemplo, os programas jornalísticos e de entretenimento passaram a ocupar outros espaços, como o das novelas e dos esportes. Programas retirados da grade também retornaram, visto que se encaixavam no cenário atual.

Por outro lado, o momento indica que a publicidade na TV também terá mudanças, especialmente no que diz respeito a necessidade de se fazer uso de novos formatos.

Apesar de que isso está sendo mais percebido agora, é interessante observar que algumas alterações já vinham sendo realizadas. Uma delas é reformulação que esse meio de comunicação promoveu nos últimos anos, buscando oferecer um espaço de publicidade com novas ferramentas e novos formatos de anúncio, assim como soluções personalizadas para as empresas anunciantes.

Mudança de comportamento

Sem dúvidas, a pandemia de Covid-19 levou a uma procura maior por publicidade na TV. A questão chave aqui, é que a audiência se concentrou em um número menor de programas, comportamento que aumentou a concorrência por determinados espaços de publicidade.

Nesse sentido, vale observar que, enquanto há anunciantes que estão unindo forças com seus concorrentes, há aqueles que não abrem mão de seu espaço publicitário, mas também não podem anunciar, especialmente porque o tipo de conteúdo que pretendem apresentar para a audiência não seria bem visto ou necessário em época de pandemia.

Impactos do novo coronavírus

Uma coisa ficou evidente: o novo coronavírus fez com que o modelo de funcionamento do mercado de publicidade na TV fosse repensado de forma mais rápida.

As emissoras, por exemplo, não hesitaram em modificar suas programações, tendo em vista a necessidade de oferecer o conteúdo que mais aderisse ao público. Outras soluções vistas, envolviam projetos antigos, mas que foram remodelados.

Essas mudanças poderão refletir em novos prismas na maneira como os anunciantes conseguirão segurar sua audiência, como estarão presentes na vida do consumidor e até como entregarão o conteúdo publicitário.

O aumento pela procura da publicidade, a união de concorrentes para atingir um público maior e os novos modelos publicitários também evidenciam que a crise causada pelo novo coronavírus está fazendo com que marcas estejam ainda mais preocupadas com o retorno de suas ações.

Entretanto, ainda é cedo para uma visão mais sólida de tudo isso, principalmente, porque o cenário apresenta duas linhas: De um lado estão os que estão buscando por mais publicidade na TV e as redes que estão se destacando com isso. Do outro, há aqueles que têm perdido partes significativas de suas receitas em decorrência do oposto disso, ou seja, os anunciantes estão desaparecendo.